As melhores contra O resto

Autor: Marty Cagan | Traduzido por: Victor Siqueira

Ambos os livros INSPIRED e EMPOWERED foram escritos para tentar explicar e encorajar as melhores práticas das melhores empresas de produtos. Há muito argumentei que existe uma lacuna notável entre o modo como as melhores empresas funcionam e o resto.

Vivi em ambos os mundos. Ainda me lembro vivamente de ser um engenheiro no HP Labs trabalhando em ferramentas para outros engenheiros de software e, durante minhas primeiras visitas ao cliente, ficar chocado com as diferenças entre como nossos clientes (os engenheiros dessas diferentes empresas) estavam trabalhando.

Eu não tinha o vocabulário para descrever tudo que estava vendo e certamente não tinha identificado uma taxonomia dos diferentes tipos de equipes de produto, mas poderia descrever para você as diferenças em ferramentas, equipamentos, métodos, processos, funções e responsabilidades, educação e estilos de gestão desses times.

No entanto, foi só com a publicação do artigo Time de produto vs. Time de Funcionalidades, e posteriormente quando elaborei esse conceito no livro EMPOWERED, que as diferenças mais profundas realmente começaram a ressoar nas pessoas.

A boa notícia é que sinto que as pessoas estão realmente começando a entender o quão significativas são essas formas de trabalhar. A má notícia é que isso levou a algumas conversas realmente bizarras.

Apenas nas últimas duas semanas, conversei com várias pessoas em diferentes empresas de Times de Funcionalidades que me disseram, com todas as palavras, que as Times de produtos Empoderados que descrevo soam como um mundo mítico e utópico, que não poderiam nem existir na realidade.

No entanto, nessas mesmas duas semanas, também falei com pessoas em empresas com cultura forte de produtos que trabalham em Times de produtos Empoderados, que me perguntaram por que diabos eu gasto tanta energia falando sobre essas empresas de Times de Funcionalidades que eles nunca viram, e não conseguem imaginar por que alguém iria querer gerir uma empresa dessa forma e, além disso, por que alguém iria querer trabalhar lá? Quando digo a eles que os Times de Funcionalidades não apenas existem, como também são claramente a maioria, eles pensam que estou exagerando.

Com tão pouca visibilidade e compreensão de como é do outro lado, realmente não é de se admirar que haja tanto barulho e confusão sobre o papel do produto e também porque a maioria das "transformações digitais" não chegam a lugar nenhum.

Uma das perguntas mais comuns que recebo é de pessoas que acreditam que Times de Produto Empoderados são reais, e é assim que elas querem trabalhar, e agora estão tentando descobrir a melhor empresa para aplicar. É por isso que escrevi este artigo sobre como escolher onde trabalhar. Uma pergunta interessante que recebi de algumas pessoas é: “Recebi uma oferta de [uma empresa de produtos bem conhecida], mas eles querem que eu seja um colaborador individual, mas eu tenho sido líder de produto por muitos anos e isso seria um grande rebaixamento para mim. ”

Claro, às vezes o problema é que as pessoas, de forma errada, equiparam um gerente de produto (PM) a um líder de produto, e elas não têm sido um líder de produto no sentido que as empresas com cultura de produto precisam/ significam. Mas, na maior parte do tempo, essas pessoas realmente foram líderes de produto - diretores ou vice-presidente de produto. Nesse caso, explico o que quase certamente está acontecendo.

Embora você possa ter vários anos de experiência em produtos, a empresa não conhece a natureza dessa experiência. Eles precisam ter certeza de que você sabe como trabalhar em um Time de produto Empoderado. Na verdade, um dos piores erros que eles podem cometer é contratar um líder de produto que não sabe o que é bom e vai acabar espalhando más práticas para as pessoas que eles são responsáveis ​​por treinar e desenvolver.

Todas as empresas que conheço cometeram esse erro alguma vez (e eu também), e é um erro muito caro, especialmente quando não é identificado e corrigido rapidamente. Portanto, eles preferem contratá-lo como colaborador individual e ver o quanto você realmente sabe. Se você for bom, quase certamente será promovido rapidamente. Caso contrário, você terá a chance de aprender como ser realmente bom.

Também é importante que a organização como um todo veja que as pessoas promovidas são amplamente reconhecidas como pessoas fortes em suas funções. Nem todo mundo está disposto a fazer essa aposta em si mesmo (e potencialmente absorver o corte de pagamento associado), mas eu conheço muitos que o fizeram e foram generosamente recompensados ​​por isso.

De qualquer forma, vou continuar tentando destacar as diferenças entre as melhores e o resto, e fazer tudo o que puder para ajudar as pessoas a progredir em direção às melhores.

Artigo Original: https://svpg.com/best-vs-rest/