Organização que Aprende - o que é e por que é importante

Kari Kelly - Traduzido por Bruno Furtado

Uma função central do trabalho de gestão da liderança Ágil é desenvolver as organizações no que é chamado de Organizações que Aprendem, um termo cunhado por Peter Senge do MIT, que são organizações que facilitam o aprendizado de seus membros e se transformam continuamente. Essas organizações possuem a capacidade de sobreviver e prosperar em meio a mudanças rápidas e alta complexidade.


Organizações que Aprendem são uma das melhores maneiras de criar uma organização flexível que pode lidar com o VUCA (Volatilidade, Incerteza, Complexidade e Ambiguidade) de uma boa maneira. A ideia de uma organização que aprende é que as pessoas identifiquem as necessidades para que a estratégia surja das atividades acumuladas das pessoas e equipes. Ela emerge na visão geral do futuro da organização, de modo que a inovação e as melhorias agregam valor a toda a organização.


Em organizações hierárquicas tradicionais, a gestão geralmente dirigia o trabalho de estratégia e assumia a responsabilidade por pensar e agir. As pessoas eram vistas como um recurso que deveria apenas cumprir o trabalho que lhes era atribuído.


Nas Organizações que Aprendem, as pessoas identificam as necessidades para que a estratégia surja das atividades acumuladas das pessoas e equipes. A estratégia surge dentro da visão geral do futuro da organização, de modo que a inovação e as melhorias contribuem para o todo da organização.


Uma Organização que Aprende é projetada por redes de redes. As diferentes partes se adaptam e mudam constantemente de forma independente, enquanto ao mesmo tempo contribuem para a missão. Possui um comportamento ágil, onde os indivíduos estão constantemente aprendendo, reaprendendo e desaprendendo juntos. Tudo isso associado a lideranças capazes de constante transformação e desenvolvimento, compartilhamento de informações, transparência, empoderamento, estratégia emergente e estruturas horizontais.


O foco é capacitar as pessoas a pensar, agir e projetar métodos de trabalho em nome da organização. Ainda assim, a gestão geralmente fornece a direção estratégica primária, mas as pessoas têm mais espaço para agir dentro da estrutura da direção. É o sistema operacional duplo de John Kotter em ação!


Devido à alta velocidade das mudanças e à crescente complexidade, muitas organizações podem ver uma lacuna entre o que está acontecendo e o que precisa ser feito para sobreviver e se destacar.


Portanto, precisamos envolver todos os cérebros das organizações para lidar com nosso mundo VUCA! É muito difícil ser feito por alguns pensadores. Todos precisam contribuir para as decisões e ações do fluxo de trabalho e também para o direcionamento estratégico, de uma forma nunca vista antes. É por isso que as Organizações que Aprendem são importantes!


Sobrecarregado? Concentre-se primeiro na criação de uma organização horizontal com uma imagem compartilhada de O QUE fazer e POR QUÊ. De preferência feito em conjunto com os colaboradores, na medida do possível. Combine isso com muita segurança psicológica e a autonomia crescerá ao mesmo tempo que se dão os primeiros passos em direção a uma Organização que Aprende!


Artigo original: http://bit.ly/3tVTOw0

© 2021 por Product Guru's.