Paixão pelo Produto

Marty Cagan - 27/06/2011 Traduzido por: Raphael Jubram

Um tema sobre o qual nunca escrevi explicitamente é a necessidade da paixão pelo produto.


Eu o referenciei no topo da lista de características para os bons líderes de produtos, mas é fácil tomar isso como certo, especialmente porque as pessoas com quem me cerco profissionalmente são, geralmente, muito apaixonadas por produtos.


No entanto, ultimamente, a nossa indústria tem assistido a um ressurgimento daquilo que chamarei de "frenesi de produtos".


Hesito em usar o termo "bolha" porque não tenho a certeza se é ou não, mas, certamente, há uma forma de frenesi com as pessoas que começam empresas de produtos em um ritmo incrível - mais do que me lembro no final da década de 90.


No final dos anos 90, muitas pessoas vinham para o Vale do Silício para tentar enriquecer rapidamente.


Não se importavam com o que estavam trabalhando, desde que pensassem que podiam reverter o trabalho rapidamente para obter grandes lucros.


Embora eu ache que algo está acontecendo novamente, vejo um tipo de problema diferente, que é alimentado, em grande parte, mas não exclusivamente, pelo novo mercado móvel.


Em vez de tentarem construir uma empresa em torno de uma visão, muitas pessoas estão equiparando a construção de um aplicativo móvel à criação de uma empresa.


Construa um ótimo app, as pessoas vão adorá-lo e alguém vai nos comprar.


Essencialmente, as apostas na mesa para a criação de uma empresa caíram.


Construir um aplicativo móvel pode custar muito pouco.


É claro que alguns desses apps são impressionantes, enquanto a maioria não é, mas esse não é o meu objetivo neste artigo.


Aqui, queria falar sobre a diferença entre aqueles que estão seguindo uma visão em que o aplicativo é apenas um passo e aqueles que estão apenas perseguindo a sua mais recente ideia de app.


Vejamos três startups recentes:


- A Read It Later tem, de fato, um aplicativo móvel bem-sucedido, mas o fundador Nate Weiner está em busca de um prêmio muito maior: ser o líder no espaço de troca de conteúdo - poder ler o seu conteúdo favorito no dispositivo que quiser, sempre que quiser visualizá-lo, online ou offline.


- A Flipboard criou um dos melhores aplicativos para o iPad, mas o fundador Mike McCue vê isso apenas como um passo no caminho de reinventar a forma como interagimos e consumimos mídia.


- A Lytro pode ainda não ter um aplicativo móvel, mas a nova geração de tecnologia de câmaras digitais do fundador Ren Ng não está apenas tentando criar um novo e legal dispositivo de consumo, mas, sim, redefinindo toda uma indústria.


Estes são apenas três exemplos de fundadores de empresas de produtos que buscam as suas paixões.


Não com o objetivo de transformar um aplicativo rápido que faça algum dinheiro fácil, mas, sim, com a consciência de que será necessário muitos anos de trabalho árduo para construir a sua visão do futuro.


Permita-me contrastar isso com os seis diferentes "fundadores" com os quais me encontrei nas últimas semanas e que estavam tentando criar um aplicativo que as pessoas gostassem o suficiente para instalar no seu telefone.


Em cada caso, perguntei o que eles, realmente, estavam tentando alcançar com o app e, na maioria das vezes, fiquei com uma aparência confusa sobre a resposta.


É possível que a nossa indústria evolua para ser mais parecida com a indústria dos filmes de longa-metragem.


Muitas pessoas criam aplicativos, alguns se tornam grandes, e o público passa de um sucesso de bilheteria para outro. A indústria dos jogos casuais online está funcionando, em grande parte, dessa forma.


Mas mesmo lá, as melhores empresas estão trabalhando para criar ecossistemas maiores, e não apenas para fazer jogos pontuais.


Se acredita, assim como eu, que criar grandes empresas de produtos é uma maratona, e não uma sprint (embora seja uma maratona em que corremos cinco minutos), então, para manter a equipe e os seus clientes motivados durante todo o tempo, é preciso perseguir um sonho com o qual vale a pena entusiasmar-se e manter-se entusiasmado.


Usei startups como exemplo aqui, mas o mesmo se aplica às grandes empresas.


Se você está tentando criar novas fontes de receita para a sua empresa, precisa ter uma visão que seja atraente para as pessoas não só durante alguns meses, mas também durante vários anos.


Precisa mostrar à sua equipe, aos seus executivos e às partes interessadas que tem uma visão de longo prazo, e demonstrar a paixão necessária para entusiasmar o resto da sua empresa.


Entusiasmá-los e mantê-los entusiasmados é uma grande parte do trabalho do líder do produto, e é conhecida como evangelismo do produto.


Em um próximo artigo, vou falar sobre as técnicas que temos para evangelizar produtos, mas todas elas começam com uma paixão sincera por produtos que resolvem problemas reais.

Texto Original: https://bit.ly/3l4r140

© 2021 por Product Guru's.