Uma década de gestão de produtos

Melissa Perri - 04/01/2020 Traduzido por: Allan Centurione

Venho refletindo recentemente sobre a última década em gestão de produto. Trilhamos um longo caminho, mas ainda temos muito a percorrer. Aqui estão algumas das minhas observações e experiências pessoais.


Nem toda empresa passou por todas essas mudanças, mas em geral acho que foi um avanço positivo e estou orgulhosa de onde viemos e de onde chegamos.


--


2014: "Eu não preciso de product managers, eu posso tocar a minha empresa sozinho, sou o dono da estratégia."

2019: "Como eu contrato um Chief Product Officer? Preciso dele pra ontem."


Founders descobrindo que não conseguem fazer tudo sozinhos e que gestão de produtos é uma carreira e uma competência importante no nível executivo.


--


2011: "Você é maluca de ir para uma startup, Melissa. O que você está fazendo aí? O que é Product Management? Você deveria ter continuado na Barclays."

2019: "Eu vou fazer um MBA para poder atuar como product manager"


Produto, e especialmente produto em startups, agora está na moda.


--


2014: "Não precisamos de ajuda para gestão de produtos, precisamos de ajuda em design. Você pode apenas nos ensinar UX?"

2019: "Eu tenho 800 product owners que nunca trabalharam com isso antes, você pode me ajudar a treiná-los?"


Com o Scrum vieram os POs e, com os novos POs, veio o interesse pela gestão de produtos de verdade.


--


2013: "Minha equipe não pode falar com os clientes. É muito arriscado, vamos ser processados. Nós sabemos o que estamos fazendo."

2019: "Duh, é claro que eu quero que minha equipe converse com os clientes. Vamos pra rua."


Executivos entendendo a importância de estar perto dos seus clientes para conseguir criar ótimos produtos.


--


2013: "Nós não fazemos experimentos aqui, Melissa. Somos uma empresa de verdade."

2018: "Você consegue ensinar a minha equipe a fazer experimentação e construir MVPs? Como fazemos para escrever boas hipóteses? E como fazemos isso no B2B?"


Gestores estão mais abertos à experimentação e começaram a ver o seu valor.


--


2011: "Produto responde para o VP de Engenharia."

2019: "Produto responde para o CPO."


Começamos a entender que precisamos de lideranças de produto, mesmo nas maiores empresas.


--


2011: "O que é uma user story?"

2019: "Como escrevo boas user stories para colocar no Jira do jeito certo?"


Ainda não entendemos muito bem a frase "outcomes over outputs", mas estamos indo numa direção melhor.


--


2013: "O que é Agile? Parece que deveríamos estar fazendo isso."

2019: "Se alguém falar mais uma vez que isso não é Agile, vou me demitir."


Nós exageramos em alguns pontos, sem de fato entendê-los. Ainda há trabalho a ser feito aqui.


--


2016: "Eu quero um product manager que consiga escrever boas especificações. Precisamos de documentação."

2019: "Eu quero um product manager que seja bom em estratégia de negócios e nos ajude a alcançar nossos objetivos. Onde encontro gente assim?"


Começamos a entender que gestão de produtos vai além de especificação.


--


2013: "Nós deveríamos construir isso porque eu disse que deveríamos."

2019: "Existem dados que provem que este é o melhor caminho a ser seguido?"


Equipes e executivos passaram a tomar decisões orientadas a dados, e as ferramentas do mercado seguiram essa tendência.


--


Então, o que isso nos diz sobre os próximos dez anos? Aqui estão alguns dos meus palpites.


  • Gestão de produtos e estratégia vão ficar cada vez mais próximos, especialmente em empresas de SaaS e software. Nesse caso, estratégia de produto = estratégia da empresa. À medida que mais empresas viram digitais, isso vai se tornando uma necessidade cada vez maior para elas. A maioria das empresas define estratégias de forma rasa e product managers vão precisar aparecer e receber espaço dos executivos.

  • Teremos mais posições de liderança em produto, mas não teremos pessoas para preenchê-las. Haverá muitos CPOs de primeira viagem animados com o desafio da área, mas sem a experiência anterior necessária e que não conhecem as suas deficiências profissionais. Precisaremos ajudar essas lideranças a entenderem como as suas funções mudam nesse novo contexto e elas precisarão de disposição para alcançar o sucesso. Por outro lado, no fim da década, as pessoas que estão começando em produto agora chegarão a essas posições, e então veremos várias empresas de software interessantes com ótimas estruturas de produto.

  • Product Operations será uma peça-chave no processo de garantir a escala das organizações de produto. Depois de definir as interações entre as equipes com o Agile, precisamos garantir uma boa tomada de decisão para essas equipes fugirem da build trap. Uma estrutura de suporte será necessária para entender a pesquisa de mercado e os feedbacks dos clientes.

  • Temos muitos product managers no mercado que precisam de um lugar para aprender mais sobre a área hoje. Precisamos construir programas de treinamento dentro das empresas e garantir que contratamos pessoas com uma experiência boa para construí-los conosco. No final da próxima década, os product managers de hoje se tornarão líderes de produto, ajudando a modelar ótimas companhias movidas a produto. Garantir que isso comece agora é crítico para o futuro.

  • Veremos o papel do product manager mais segmentado e menos generalista. Teremos PMs técnicos, PMs focados em entender o usuário, PMs especializados em ferramentas internas e outras variações. Também teremos formas melhores de articular e compreender quais tipos de product managers e lideranças de produto precisamos em nossas empresas e construiremos uma forma de comunicar isto.


Quais são os seus palpites? O que você viu mudar na última década e o que você espera que evolua nos próximos dez anos? Comente abaixo.

Artigo original: https://bit.ly/3iTp2gM

© 2021 por Product Guru's.